sexta-feira, 24 de julho de 2009

Frases de Clarice Lispector

" Tenho que ter paciência para não me perder dentro de mim: vivo me perdendo de vista. Tenho que ter paciência porque sou vários caminhos, inclusive o fatal beco sem saída”

"Eu sou mansa, mas minha função de viver é feroz."

“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.”

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito.”

“E se me achar esquisita, respeite também.
Até eu fui obrigada a me respeitar.”

“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.”

"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros."

“Ter nascido me estragou a saúde”

“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.”

“Brasília…Uma prisão ao ar livre.”

“Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.”

“Com todo perdão da palavra, eu sou um mistério para mim.”

“O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo.”

“Saudade é um dos sentimentos mais urgentes que existem”

“Que medo alegre, o de te esperar.”

“Acho que devemos fazer coisa proibida – senão sufocamos. Mas sem sentimento de culpa e sim como aviso de que somos livres.”

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Amor líquido


O escritor sociólogo Zygmunt Bauman investiga e destaca aspectos da era da modernidade líquida em que vivemos - um mundo repleto de sinais confusos, propenso a mudar com rapidez e de forma imprevisível - que é fatal para nossa capacidade de amar, seja esse amor direcionado ao próximo, a nosso parceiro ou a nós mesmos.
Ele investiga de que forma nossas relações tornam-se cada vez mais flexíveis, gerando níveis de insegurança sempre maiores.
Ao darmos prioridade a relacionamentos em "redes", as quais podem ser tecidas ou desmanchadas com igual facilidade - e frequentemente sem que isso envolva nenhum contato além do virtual - não sabemos mais manter laços a longo prazo.
A modernidade líquida traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos - um amor líquido. A insegurança inspirada por essa condição estimula desejos conflitantes de estreitar esses laços e ao mesmo tempo mantê-los frouxos.
O autor radiografa esse amor, tanto nos relacionamentos pessoais e familiares quanto no convívio social com estranhos e de que forma o homem sem vínculos se conecta.
O autor dedica o livro aos riscos e ansiedades de se viver junto, e separado, em nosso líquido mundo moderno.
"Sempre se pode apertar a tecla de deletar" (depoimento de um jovem da Universidade de Bath, UK).

Abaixo, algumas reflexões com Contardo Calligaris (sou fã)





quarta-feira, 1 de julho de 2009

AMADO MICHAEL





Talento e loucura...
Concordo com meu amigo que me acompanhou ao show do Michael no Morumbi (SP 1996): só quem viveu na era Triller entende o vazio que a gente está sentindo...


AMADO MICHAEL
(Tom Zé)


Negro da luz que desbota branco
Tanto talento tormento tanto
Tanta afronta de pouca monta.
Eia! virtudes em farta ceia
Todo encanto que pode o canto
Toda fiança que adoça a dança.
Que deus nos furta vida tão curta?
Mundo lamenta: ele mal cinquenta!
A ninguém ilude essa bruxa rude.
Paroxismo desse Narciso
Que achou desgosto no próprio rosto
E apedrejou-se com faca e foice.
Avança a rua (uma dor que dança)
E em seus telhados mandibulados
Requebra os hinos do dançarino.
Niños, rapazes, se sentem azes
Herdeiros todos e seus parceiros
Revelam parque, porto e favela.

Adoro esses vídeos dele...

http://www.youtube.com/watch?v=ehal1eUG1jk

http://www.youtube.com/watch?v=V_Q3AhPaZBY

...